Por que “fotografia”?

O tempo já foi um Deus, alívio para dor, tema de canção, inspiração para poesia e motivo para discussões filosóficas. Tanto de tudo e tanto mais… Sua força e seu sentido são caminhantes ao infinito, camuflando mistérios e dissolvendo certezas.

Não há como negar o fascínio que ele nos desperta, corroendo memórias e ressoando lembranças. Tempo, voraz como a ferrugem e intenso como a vida, que segue sem cessar, firme, em um ritmo tão próprio. Tamanha é a sua complexidade, efêmera ofegante, disposta em movimentos vívidos. Seria possível agarrá-lo por um instante? Medi-lo por meio palpável

Trecho do texto curatorial de Ana Cecília Soares e Júnior Pimenta para a exposição: Das estratégias de medir o tempo, de Emanuel de Oliveira, SESC Iracema – Fortaleza / CE

 

Seria possível agarrar o tempo por um instante?

Efêmera frase, mas que define meu propósito. Define a minha relação com tudo o que faço. Quero contar histórias!

Não é através de formulas prontas ou serviços plastificados e laminados; tampouco pacotes em uma prateleira

Meu compromisso é com você, em fazer o tempo parar, em poder conversar e mostrar o que existiu.

Essa história que proponho através de imagens e vídeo tem de virar uma conversa, de você consigo mesmo, dos filhos que não tem ainda; das relações e paisagens que fizeram seu coração bater mais forte; momentos que brilham no olhar.